Comportamento Histórias de Vida

Quem nunca sofreu por amor?

Quem nunca sofreu por amor?

Quem nunca sofreu por amor?

Costumo brincar se você ainda não sofreu, vai sofrer…

A questão em si não é o sofrer, pois o sofrimento faz parte de uma certa maneira da vida ….

Mas gostaria de pensar no sofrimento como algo com prazo de validade: se passar muito tempo, fica como comida vencida…pode provocar várias indigestões.

Se sofrer é ruim, imagine ver quem amamos sofrendo?

A sensação é de que o sofrimento vem em dobro, em triplo….

E assim começa a história de Isabella, na verdade posso dizer que assim começa a história de Sandro e Carolina.

Eles eram pais de Isabella, e foram me procurar não só por vontade própria, mas também atendendo a pedidos dos amigos de sua filha…

Segundo eles, Isabella desde o início da faculdade namorou por muito tempo a mesma pessoa, e quando estavam ensaiando ficarem noivos, seu namorado resolveu romper o relacionamento. Simplesmente disse que não estava pronto para um passo tão grande.

Desde então ela está completamente diferente…. tem dias que ela está quieta, calada…e nos outros sai sem dar satisfação e volta pela manhã (coisa que não tinha o hábito em fazer pois sempre foi muito caseira).



Até então eles e os amigos, apesar de estarem estranhando o comportamento, achavam que era algo temporário.

O limite foi ultrapassado quando um dia a mãe de Isabella acordou e tinha um homem estranho na cozinha de cueca…

Ela e Isabella, que sempre conversavam, tiveram uma discussão terrível. Como resposta Isabella se isolou ainda mais.

Ultimamente Isabella não tem saído do quarto; sai apenas para buscar refeições.

Não tem saído para festas ou baladas…e até dos amigos se afastou….



Os pais de Isabella me procuraram por causa do seguinte questionamento:

“-Quando isso acaba?”

Fico imaginando o quanto é difícil não só para pais, mas também para amigos, presenciarem o sofrimento de alguém querido.

Quando isso acaba? Quando isso passa…?

São as mesmas perguntas que fazemos quando ingerimos uma comida fora da validade e temos uma indigestão….

Horas parecem dias, dias parecem semanas e semanas parecem anos…

Quando estamos sofrendo ou vendo quem amamos sofrer o tempo parece tão relativo …que qualquer segundo vira uma eternidade.

Interessante que a grande pergunta a ser feita não deveria ser quando e sim como…. como amenizar, como ajudar…. como acolher.

Talvez se encontrarmos juntos essas respostas, poderemos fazer Isabella perceber que esse sofrimento já está fora de validade, e essa indigestão toda será curada com as doses certas de amor.

Dra Ana Dias



Leia Também:

Ana Flavia Dias
Sobre

Ana Flavia Dias

Ginecologista e terapeuta sexual... Amante da alma humana... Te ajudo a descobrir ou melhorar seu prazer sexual em todas as fases da vida.

Próxima Postagem

2 Comentários

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *